Blog Articles

Testes serológicos COVID-19: o que são e para que servem?

5 Maio 2022

Existem diversos testes para confirmar a presença da infeção COVID-19, bem como testes para avaliar a presença de anticorpos para o vírus. Estes últimos tratam-se dos “testes serológicos”, um termo que se tornou mais comum no nosso léxico recentemente, mas, na realidade, este tipo de testes são já amplamente utilizados, no diagnóstico de determinadas doenças bacterianas, virais e parasitárias. 

Apesar de amplamente disponíveis, levanta-se a questão de qual a utilidade clínica deste tipo de testes e de quando, como e para que devem ser utilizados.

Os testes serológicos COVID-19, em específico, permitem avaliar se uma pessoa desenvolveu anticorpos específicos contra o vírus SARS-CoV-2. O desenvolvimento de anticorpos pode dar-se após o contacto com o vírus ou após a imunização através da vacinação. 

A presença de anticorpos é detetável na maioria dos indivíduos cerca de 14 dias após o início dos sintomas ou vacinação. Devido a este facto, os testes serológicos não são os mais indicados para o diagnóstico de infeção aguda por SARS-CoV-2. 

No entanto, podem ser utilizados como auxiliares ao diagnóstico perante suspeita de uma infeção recente, em doentes com testes negativos ou que não realizaram testes moleculares de amplificação de ácidos nucleicos (TAAN) ou testes de antigénio (TRAg).  

Quem tem indicação para realizar testes serológicos COVID-19?

Pessoas que pretendam saber se houve contacto prévio com o vírus, se tiveram infeção recente não diagnosticada por testes de antigénio ou PCR ou para quem deseja saber se desenvolveu anticorpos após a vacinação.

Estão disponíveis no mercado diferentes testes serológicos que devem ser criteriosamente selecionados de acordo com a dúvida a esclarecer com a realização do teste:

  1. IgM: Para deteção de infeções recentes;
  2. IgG-anti Spike: Detetável após infeção ou vacinação;
  3. IgG-anti Nucleocapside:: Detetável apenas após infeção.

Testes sugeridos de acordo com a dúvida a esclarecer:

*De acordo com a literatura, a IgG- anti Spike permanece em circulação durante mais tempo do que a IgG-anti Nucleocapside, pelo que a sua utilização em indivíduos não vacinados, para avaliação de infeção por Sars-CoV2, poderá ser favorecida.

Interpretação dos testes:

Em indivíduos vacinados, a ausência de IgG anti-Spike pode indicar uma resposta à vacina limitada em estados de imunossupressão ou à realização do teste antes dos 14 dias após a vacinação, ou seja, previamente à produção de anticorpos detetáveis.

Até à data, não há dados científicos suficientes que permitam deduzir se esses anticorpos conferem imunidade de longa duração. 

O que é necessário?

Não é necessária qualquer preparação prévia à realização destes testes. Para fazer este teste, não é necessário estar em jejum, por exemplo. 

É possível realizar testes serológicos nos laboratórios do grupo AQUALAB?

Sim, os laboratórios do grupo Aqualab realizam testes serológicos COVID19. Poderá agendar neste link.

O resultado do teste estará disponível em quanto tempo? 

Em cerca de 4 dias.

Quanto custa fazer um teste serológico?

O teste serológico custa 25 euros por cada anticorpo.

Os testes serológicos são comparticipados? 

Sim, os testes serológicos  são comparticipados mediante apresentação de requisição do SNS — Serviço Nacional de Saúde

Fonte:

Elitza S. Theel, 2021. 11.26 SARS‐CoV‐2 Serologic Testing, Clinical Microbiology Procedures Handbook, 4th Edition. ASM Press, Washington, DC. doi: 10.1128/9781683670438.CMPH.ch11.26